Para construirmos um futuro sólido, precisamos absorver corretamente as lições aprendidas na jornada. Quando tive a oportunidade de me encontrar com o jovem Gustavo Vitor Ferreira dos Santos, de 16 anos, pude perceber a importância de valorizar aqueles que, de modo direto ou indireto, fizeram parte de nossa história.

Gustavo entrou no Instituto Paulo Freire de Ação Social aos onze anos de idade. Quando ele se recorda da maneira calorosa com que foi recebido e acolhido, ele esboça um belo sorriso e diz: “foi muito bom poder estar aqui na instituição”. A sua jornada no Instituto durou cinco anos, de 2009 a 2013. Nesse período, ele mudou de atitude participando das oficinas pedagógicas promovidas em nosso espaço. Apaixonou-se pela fanfarra e principalmente pelo violino, instrumento esse que ele ganhou no Natal Solidário de 2011.

Ele cravou seu nome na história do Instituto Paulo Freire ao participar do Primeiro Cerimonial de 15 anos, realizado em 2013. Na continuidade de sua formação, cursa o ensino médio no Colégio Carlos Gomes e participa do projeto “Transformação” do Patrulheiros Campinas. Com respeito a carreira, ainda indeciso, se lembrou da profissão do pai, e externou o desejo de trabalhar com atendimento ao público. Mas não esconde o sonho de boa parte dos meninos de sua idade: ser jogador profissional de futebol.

Ele deixa um recado a equipe do Instituto e aos mantenedores: “muito obrigado pela força que vocês me deram, graças a vocês eu pude ser acolhido na instituição e realizar um grande sonho de poder ser encaminhado ao Patrulheiros. Que Deus abençoe vocês e que vocês possam continuar fazendo por outras crianças o que fizeram por mim”.